quarta-feira, 18 de novembro de 2009

.atalhos

"Quanto tempo a gente perde na vida? Se somarmos todos os minutos jogados fora, perdemos anos inteiros. Depois de nascer, a gente demora para falar, demora para caminhar, aí mais tarde demora para entender certas coisas, demora pra dar o braço a torcer. Viramos adolescentes teimosos e dramáticos. Levamos um século para aceitar o fim de um relacionamento, e outro século para abrir a guarda para um novo amor, e já adultos demoramos para dizer a alguém o que sentimos, demoramos para perdoar um amigo, demoramos para tomar uma decisão. Até que um dia a gente faz aniversário. 37 anos. Ou 41. Talvez 48. Uma idade qualquer que esteja no meio do trajeto. E a gente descobre que o tempo não pode continuar sendo desperdiçado. Fazendo uma analogia com o futebol, é como se a gente estivesse com o jogo empatado no segundo tempo e ainda se desse ao luxo de atrasar a bola pro goleiro ou fazer tabelas desnecessárias. Que esbanjamento. Não falta muito pro jogo acabar. É preciso encontrar logo o caminho do gol.

Sem muita frescura, sem muito desgaste, sem muito discurso. Tudo o que a gente quer, depois de uma certa idade, é ir direto ao assunto. Excetuando-se no sexo, onde a rapidez não é louvada, pra todo resto é melhor atalhar. E isso a gente só alcança com alguma vivência e maturidade.

Pessoas experientes já não cozinham em fogo brando, não esperam sentados, não ficam dando voltas e voltas, não necessitam percorrer todos os estágios. Queimam etapas. Não desperdiçam mais nada.

Uma pessoa é sempre bruta com você? Não é preciso conviver com ela.

O cara está enrolando muito? Beije-o primeiro.

A resposta do emprego ainda não veio? Procure outro enquanto espera.

Paciência só para o que importa de verdade. Paciência para ver a tarde cair. Paciência para sorver um cálice de vinho. Paciência para a música e para os livros. Paciência para escutar um amigo. Paciência para aquilo que vale nossa dedicação. Pra enrolação, atalho."


[martha medeiros]

.

.e hoje, fechando mais um ciclo de vida [cada vez mais longe dos 20 e perto dos 30], isso tudo fecha perfeitamente com o que penso e desejo. nada de enrolações, ultimamente eu prefiro ir direto ao ponto.

11 comentários:

between_ disse...

esse post me fez pensar algumas coisas. mas enfim, parabens :)

Simão disse...

Todo o tempo tem o seu tempo... eu acho que se pudermos aproveitar (o melhor possível, claro) o tempo que a gente tem (ou consegue ter) já é muito bom e dar importância àquilo que é realmente importante... atalhos, só se for para evitar algumas coisas.
Ânimo amiga, em princípio, a gente ainda tem muito para viver e muito tempo para gastar, não é mesmo?

.ana disse...

espero sim ter muito tempo para tudo que quero. mas que esse tempo seja bem aproveitado, sempre. ;)

Ricardo Chicuta. disse...

" Levamos um século para aceitar o fim de um relacionamento, e outro século para abrir a guarda para um novo amor,".
Um belo tapa na minha cara,estava precisando.

E.Suruba disse...

Os minutos perdidos são meio que inevitáveis

Paula disse...

Boa reflexão! Vc vai conseguir tudo o que merece!
Feliz aniversário! Te desejo tudo de bom!!!
Bom fim-de-semana!
Bjos,
Paulinha

Higor disse...

Oi.Adimiro muito o seu blog!Estou convidando vc para postar no meu blog!Não esqueça de dar seu e-mail.

Resposta até o dia:25.11

Insano em tratamento

Higor disse...

ANA FICO MUITO TRISTE DE VC NÃO PODER POSTAR EM MEU BLOG!MAS EU INTENDO QUE VC NÃO VAI PODER PQ ESTA SEM TEMPO!

BEIJOS


=)

Luana Gabriela disse...

Se é assim que prefere, vou direto ao ponto:
Adorei aqui!

Bjos

Silvana Alves disse...

amei seu blog
soou como mensagem pra mim.. chegar de perder tempo a hora é ser feliz...

Tati Plens disse...

Esse final disse muito é diferente ir com calma e enrolar. Eu acho que necessitamos de calma para muita coisa, que hoje fazemos com muita rapidez, boa parte das coisas que você disse no final ali, com paciência.

Mas pra enrolações, atalhos, sim.