segunda-feira, 25 de abril de 2011

.sempre ela

.acho esse texto muito, muito bonito... rita apoena me encanta.


"Quando eu saí de uma importante depressão, eu disse a mim mesma que o mundo no qual eu acreditava deveria existir em algum lugar do planeta. Nem se fosse apenas dentro de mim... Mesmo se ele não existisse em canto algum, se eu, pelo menos, pudesse construi-lo em mim, como um templo das coisas mais bonitas em que eu acredito, o mundo seria sim bonito e doce, o mundo seria cheio de amor, e eu nunca mais ficaria doente. E, nesse mundo, ninguém precisa trocar amor por coisa alguma porque ele brota sozinho entre os dedos da mão e se alimenta do respirar, do contemplar o céu, do fechar os olhos na ventania e abrir os braços antes da chuva. Nesse mundo, as pessoas nunca se abandonam. Elas nunca vão embora porque a gente não foi um bom menino. Ou porque a gente ficou com os braços tão fraquinhos que não consegue mais abraçar e estar perto. Mesmo quando o outro vai embora, a gente não vai. A gente fica e faz um jardim, qualquer coisa para ocupar o tempo, um banco de almofadas coloridas, e pede aos passarinhos não sujarem ali porque aquele é o banco do nosso amor, do nosso grande amigo. Para que ele saiba que, em qualquer tempo, em qualquer lugar, daqui a não sei quantos anos, ele pode simplesmente voltar, sem mais explicações, para olhar o céu de mãos dadas."

.

7 comentários:

Daniel disse...

Realmente é muito bonito esse texto. Fico feliz em ter lido ele. Dá uma reanimada. Dá uma vontade de começar do zero e fazer de tudo apenas risos e flores.

Daniel

Glenda disse...

Ai aninha, lindo pra caramba! Eu ja escrevi algo assim, sobre o meu mundinho ideal! A gente sempre idealiza um, neh? Muito bonito o texto! Beijao, saudade

Tati Plens disse...

que lindo ana! ela é encantadora mesmo né? li ele bem agora que tava entrando pra postar algo no meu blog sobre essa nossa luta diária em que as armas são o amor... ;)

.ana disse...

gue e tati!
suas lindas:)
idealizar e lutar com amor é tão utópico... mas como foi dito pelo eduardo galeano:
"A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar."

@Café disse...

quase chorei.. ainda mais na fase que estou vivendo.... adoro.. simplesmente adoro ... bjus

Imilena Oliveira disse...

Olá sempre passo por aqui e embora não comente adoro os seus textos, espero que sejamos amigas de blog bjs!!

ArcadoAutoConhecimento disse...

Feliz dia das mães, com muitas flores e sorrisos. Aproveitando a oportunidade, vim lhe fazer um pedido. O ArcadoAutoConhecimento foi indicado para concorrer ao SELO BLOG DA SEMANA, em votação que se iniciou no dia 05/05 e ficará aberta até o dia 11/05/2011 no BLOG DO SUPER WILL. Se você quiser me presentear com seu voto, deve acessar o blog do Super Will, no endereço http://wwwwillblog.blogspot.com/. O Will é o idealizador do selo, tendo por objetivo homenagear e promover a confraternização blogueira através da troca de links, divulgação e experiências. Desde já, agradeço a gentileza e amizade.