quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

.e eu que nem queria saber...

Ontem comecei a ler um livro achando que era uma coisa [que não me agradava] mas descobri que era outra... bem diferente.
“Os segredos do Pai-Nosso – A solidão de Deus” não é um livro que trata de religião. É uma análise psicológica de Deus e do significado do Pai-Nosso. A idéia é bem ousada... e faz a gente pensar em muitas coisas sob uma perspectiva diferente.
E até a dedicatória do livro, na primeira página, é interessante. Hoje vou colocar ela aqui... mas em breve escrevo mais sobre isso. Tem várias passagens bem interessantes...

“O pior cárcere não é o que aprisiona o corpo,
mas o que asfixia a mente e algema a emoção.
Sem liberdade, as mulheres sufocam seu prazer.
Sem sabedoria, os homens se tornam máquinas de trabalhar.
(...)
Ser livre é não ser escravo das culpas do passado
nem das preocupações do amanhã.
Ser livre é ter tempo para as coisas que se ama.
É abraçar, se entregar, sonhar, recomeçar tudo de novo.
É desenvolver a arte de pensar e proteger a emoção.
Mas, acima de tudo, ser livre é ter
um caso de amor com a própria existência
e desvendar seus mistérios.”

Augusto Cury [o cara é psiquiatra... e muito f***]

4 comentários:

The Heart of Lilith disse...

Dizia eu que a aritmética....

"Sem liberdade, as mulheres sufocam seu prazer.
Sem sabedoria, os homens se tornam máquinas de trabalhar"


Eu sempre disse algo semelhante, mas n pus num livro....


Bejo

.ana disse...

não sei pq, mas eu achei q tu ia gostar bem desse trecho...

chriSTiano disse...

O Cara sabe mesmo!!
Besos moças de mi corazon!!

@Café disse...

Menina... muito bom tuas reflexões... tenho feito propagação... me inspira!
obrigada!