quarta-feira, 12 de maio de 2010

.e assim vai


"Vai, pássaro, roçar as asas no infinito. E nas horas mais silenciosas, quando eu fechar os olhos, é que vou te encontrar."

[rita apoena]

.

.andei ouvindo... e faz todo sentido:


"Quando não tiver mais nada
Nem chão, nem escada
Escudo ou espada
O seu coração
Acordará!...

Quando estiver com tudo
Lã, cetim, veludo
Espada e escudo
Sua consciência
Adormecerá!...

E acordará no mesmo lugar
Do ar até o arterial
No mesmo lar
No mesmo quintal
Da alma ao corpo material...

[...]

Quando não se têm mais nada
Não se perde nada
Escudo ou espada
Pode ser o que se for
Livre do temor...

[...]

Quando se acabou com tudo
Espada e escudo
Forma e conteúdo
Já então agora dá
Para dar amor...

Amor dará e receberá
Do ar, pulmão
Da lágrima, sal
Amor dará e receberá
Da luz, visão
Do tempo espiral...

Amor dará e receberá
Do braço, mão
Da boca, vogal
Amor dará e receberá
Da morte
O seu dia natal..."

[...]

4 comentários:

Eu,Pamela Gama. disse...

"Vai, pássaro, roçar as asas no infinito. E nas horas mais silenciosas, quando eu fechar os olhos, é que vou te encontrar."

Isso é acreditar que o passáro depois de bater as asas e seguir em frente, irá voltar??

Ah ana,que bom que escrevo coisas que voce se identifica!estou passando por um momento de muita reflexão sabe? talvez,como voce mesma disse, estamos passando por momentos parecidos... e sobre perdas, e desapego, é algo que eu ainda não me acostumei,eu me apego muito as pessoas,antes mesmo delas se apegarem a mim. =/

Sílvia disse...

Tudo se ouve no silêncio.

.ana disse...

acho que não exatamente, pamela... ;)
[e verdade, silvia. é no silêncio que me encontro.]

Bela disse...

E se temos asas, há que se voar, e se não temos, há sempre o pensar.
E se o chão é teu limite? Há alma.
Eu tb encontro-me no silêncio.
Bjinhos, moça ;)