sexta-feira, 29 de maio de 2009

.ah, pois é...

[brevidades para o dia de hoje, baseadas em observações.]

.nada, absolutamente nada me surpreende mais. é a tal da coisa: o hábito de estar a vida toda em meio às mais variadas diversidades humanas [isso, redundante assim mesmo], passando longe de marasmos e mesmices. não há o que não haja, bem se sabe.
e se os postes mijarem nos cachorros, o negócio é se divertir. tem coisa melhor?
.

.limite: palavrinha desconhecida por muita gente. respeito: um dos valores mais importantes, porém mais esquecidos ultimamente.
.

.quando uma convicção balança, é momento de parar e reavaliar tudo. sem omissões.
.

.clarice lispector disse certa vez que "a vida é um soco no estômago.". por vezes ela é um tapa na cara, o que eu considero bem mais humilhante.
.

.certas coisas desaparecem no ar, como se nada fossem. e realmente, nada são. a gente às vezes até se surpreende quando descobre isso.
.
.
.a 'cegueira' aguça muito mais todos outros sentidos. e é bom confiar neles.
.

.em meio ao caos que o mundo se encontra, fico feliz em saber que existem muitas pessoas de coração grande. a bondade dá impulso para se viver com mais esperança.
.
[mas tu vês, né???]

14 comentários:

LarissaAndrade. disse...

Ai ana, infelizmente poucas coisas me surpreendem também. Mas me acho muito nova pra isso... o respeito, acima de qualquer coisa, sempre é um fator que precisamos no mundo!

Amei seu post!

bjos
;**

Prity disse...

"limite: palavrinha desconhecida por muita gente. respeito: um dos valores mais importantes, porém mais esquecidos ultimamente."

Hoje mesmo conversei muito com uma amiga sobre os limites. Ter noção, ter limites, saber ser educado na hora certa e saber respeitar e conhecer nosso interlocutor, é ter perspicácia, coisa importante de verdade. Sabe, tem gente que não suporta meu jeito sincero e tem gente que acha divertido. O importante é saber retirar-se na ocasião certa. ninguém é obrigado a nos aturar, acho que essa é minha interpretação de limites.hihi.
Espero que esteja tudo bem com você, amei seu texto.
Bjo
Bjo

.Marchassanante. disse...

Super verdadeiros os seus devaneios.
Abraços.

Bela disse...

E daí eu pensei naqueles ditados: "é melhor ouvir isso que ser surdo" ou "ver, do que ser cego" e ainda numa frase do Raul: "é pena não ser burro, não sofria tanto", tem dias que a gente meio que acorda assim...
Bjos.

jorge jean disse...

"certas coisas desaparecem no ar, como se nada fossem. e realmente, nada são. a gente às vezes até se surpreende quando descobre isso."

isso é triste apesar de ser verdade mas no fim a gente ve que não é nada, isso é o mais triste

Philip Rangel disse...

Devemos arranjar um ideal e passar por cima deles pondo em realidades...


bjos

Prity disse...

Oie. Também adoro Pessoa, ando namorando uma coletânea para me deleitar. O último livro de poemas que comprei foi do Neruda. Semana que vem posto um dele.

Bjo
bjo

.Marchassanante. disse...

".das minhas convicções " e observações..
desculpa a eventual petulância,
foi só a minha impressão das suas palavras..

abraço,
~.~

.ana disse...

imagina...
em tudo há uma relação.

Dri Viaro disse...

amiga, vim rapidinho hj desejar boa semana
bjssss

Carol disse...

Ana... eu adoro vir ler teus post.. é perfeitamente natual não nos surpreendermos com mais nada afinal eu já vejo postes mijarem em cachorros! o.O
Entao olho a cena e sorrio acho que é a unica coisa a se fazer... e quando tu falaste que tapas na cara são mais humilhantes concordo plenamente contigo, porém Deus diz dá a tua outra face! Tenho as duas marcadas! aushaushahs beijossss

Silvia disse...

O esquema ali do limite e respeito, já falou tudo. Ainda bem que não a única a pensar assim...hahaha!

=*

Bela disse...

Ana,
Obrigada por tudo.
Bjinhos ;)

Atreyu disse...

Adorei esse! Acho que limite é algo próprio, mas que as pessoas muitas vezes ultrapassam não por si, mas para agradar alguém.
No final é tanta artificialidade que não se pode saber se é humano ou não!
A vida é simples ou complicada... depende dos olhos q vêem... eu escolhi viver!
=*