terça-feira, 5 de maio de 2009

.perdi um pedaço de mim

.
.andei sumida aqui do blog por simplesmente não ter nada a dizer. passei por dias difíceis, perdi um dos meus amores. um focinho que eu cuidava há 15 anos...
[e como dói perder quem se ama... a gente se dá conta do quanto valia, do quanto era importante na nossa vida quando perde para sempre, quando não há volta.]


tive alguns probleminhas técnicos, mas amanhã posto uma foto dele aqui.
vou deixar apenas alguns versos do neruda, que ele fez sobre a morte de seu cachorro. são tão válidos para mim quanto foram para ele...



"Mi perro ha muerto.
Meu cachorro morreu.
.
.
Lo enterré en el jardín
Enterrei-o no jardim
junto a una vieja máquina oxidada.
junto a uma velha máquina oxidada.
.
Allí, no más abajo,
Ali, não mais embaixo
ni más arriba,
nem mais em cima,
se juntará conmigo alguna vez.
vai se juntar comigo alguma vez.
Ahora él ya se fue con su pelaje,
Agora ele já foi com sua pelagem,
su mala educación, su nariz fría.
sua má educação, seu nariz frio.
Y yo, materialista que nocree
E eu, materialista que não tem fé
en el celeste cielo prometido
no celeste céu que foi prometido
para ningún humano,
para nenhum humano,
para este perro o para todo perro
para este cão ou para todo cão
creo en el cielo, sí, creo en un cielo
acredito no céu, num céu creio
donde yo no entraré, pero él me espera
onde não entrarei, mas ele me espera
ondulando su cola de abanico
ondulando sua cauda como um leque
para que yo al llegar tenga amistades.
para que ao chegar eu tenha amizades.
.
Ay no diré la tristeza en la tierra
Ai, não direi a tristeza na terra
de no tenerlo más por compañero,
por não mais tê-lo como companheiro,
que para mí jamás fue un servidor.
pois para mim jamais foi um servidor.
.
Tuvo hacia mí la amistad de un erizo
Teve a mim a amizade de um ouriço
que conservaba su soberanía,
que conservava sua soberania,
la amistad de una estrella independiente
a amizade de estrela independente
sin más intimidad que la precisa,
sem mais intimidade que a precisa,
sin exageraciones:
sem exageros:
no se trepaba sobre mi vestuario
não subia sobre as minhas vestimentas
llenándome de pelos o de sarna,
enchendo-me de pelos ou de sarna,
no se frotaba contra mi rodilla
não se esfregava contra os meus joelhos
como otros perros obsesos sexuales.
como outros cães obsessivos sexuais.
No, mi perro me miraba
Não, meu cachorro me olhava
dándome la atención que necesito,
dando a mim a atenção que eu necessito,
la atención necesaria
a atenção necessária
para hacer compreender a un vanidoso
para fazer compreender a um vaidoso
que siendo perro él,
que sendo ele um cachorro,
con esos ojos, más puros que los míos,
com esse olhos, mais puros que os meus,
perdía el tiempo, pero me miraba
perdia o tempo, mas ficava me olhando
con la mirada que me reservó
com o olhar que reservou para mim
toda su dulce, su peluda vida,
toda sua doce, sua peluda vida,
su silenciosa vida,
sua vida silenciosa,
cerca de mí, sin molestarme nunca,
perto de mim, sem me incomodar nunca,
y sin pedirme nada.
e sem me pedir nada.
.
Ay cuántas veces quise tener cola
Ai, e quantas vezes eu quis ter cauda
andando junto a él por las orillas
andando junto dele pelas margens
del mar, en el invierno de Isla Negra,
do mar, em pleno inverno de Isla Negra,
en la gran soledad; arriba el aire
na grande solidão; tendo por cima o ar
traspasado de pájaros glaciales
traspassado de pássaros glaciais
y mi perro brincando, hirsuto, lleno
e meu cão brincando, hirsuto, repleto
de voltaje marino en movimiento:
de voltagem marinha em movimento:
mi perro vagabundo y olfatorio
meu cachorro vagabundo e olfatório
enarbolando su cola dorada
arvorando uma cauda dourada
frente al Océano y su espuma.
frente ao Oceano e sua espuma.
.
Alegre, alegre, alegre
Alegre, alegre, alegre
como los perros saben ser felices,
como os cachorros sabem ser felizes,
sin nada más, con el absolutismo
sem nada mais, com o absolutismo
de la naturaleza descarada.
da natureza descarada.
.
No hay adiós a mi perro que se ha muerto.
Não há adeus ao meu cachorro morto.
Y no hay ni hubo mentira entre nosotros.
Não há nem houve mentiras entre nós.
.
Ya se fue y lo enterré, y eso era todo."
Já se foi e o enterrei, e isso foi tudo."

.
[pablo neruda - jardim de inverno]
.

10 comentários:

Dri Viaro disse...

ah que triste Ana, sabe as vezes eu penso em nao ter animais por causa disso, a gente se apega demais não é?
bjs linda, e melhoras tá

Larissa. disse...

Ohh... eu realmente não sei muito o que falar nesses momentos tão dolorosos =/.
Tão triste perder essas criaturinhas que só nos fazem bem. Mas tente pensar no bem q vc fez pra ele nesses 15 anos. Fica bem!

bjinhos

;**

Bertonie disse...

Ai, eu já perdi 2 animaizinhos meus e sofri muito com isso. Imagino a dor que tu deve estar sentindo. Mas tu superas, a gente sempre supera...
:D~~~~~~~~~~~~~~~~~~
sortesbeigos mil

Ivi Derzi disse...

Ô querida...Eu imagino a sua dor agora...
Os cães sao os melhores amigos do homem, com certeza! São sempre carinhosos, nos alegram, nos amam e só pedem nossa atenção em troca. São seres realmente puros, e que bom que você teve a chance de ter um focinho pra amar, tenho certeza que ele fez a sua vida mais feliz!

Que ele vá em paz e que você fique bem, ok?

Beijo, se cuida ;*

Momentos...volupté! disse...

Sei bem como é isso...amos minhas cadelas e quando perco uma me dá uma tristeza!!!

Adele Corners disse...

fica bem bem.

cachorrinhos são nossa alma, né não?


bjs

malvada-online.com disse...

a gente nunca tá preparado pra um deus seja ele eterno ou temporario

P.S:GANHASTE UMA NOVA SEGUIDORA

Silvia disse...

Ai, que triste Ana. A Vi me contou.
Melhoras.

Dri Viaro disse...

oi amiga, vim ver se vc já estava melhorzinha, fica bem tá?
bjss

Bela disse...

Sorry...
Abraços carinhosos.