segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

.em pouco muito se diz

"As coisas que amamos,
as pessoas que amamos,
são eternas até certo ponto.
Duram o infinito variável
no limite de nosso poder de respirar a eternidade.
Pensá-las é pensar que não acabam nunca,
dar-lhes moldura de granito.
De outra maneira se tornam absolutas
numa outra (maior) realidade.
Começam a esmaecer quando nos cansamos,
e todos nos cansamos, por um outro itinerário,
de aspirar a resina do eterno.
Já não pretendemos que sejam imperecíveis.
Restituímos cada ser e coisa à condição precária
rebaixamos o amor ao estado de utilidade.
Do sonho eterno fica esse gozo acre
na boca ou na mente, sei lá, talvez no ar."


.drummond

[pra começar uma semana com mais leveza.]

.

ah: a fernanda [dois posts abaixo] ainda procura um lar. ela está super bem, crescendo e se desenvolvendo direitinho. e é muito querida e educadinha. :)

3 comentários:

Daniel disse...

Manter a chama acesa no ser humano é muito difícil. Um dia a gente cansa mesmo.
Daniel

.: Juliana :. disse...

Oi Ana, que saudades do seu blog e de vc. Que bom que lembras de mim ;)

Obrigada pelo carinho de sempre. Logo logo o baby está por ai, mal posso esperar.

Tenha uma excelente quinta.

Bjão.

Bela disse...

Lembrei da Zélia: "tudo aqui, quer me revelar..."
Adoro Drummond.
Bjinhos ;)