sábado, 21 de junho de 2008

.timidez

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve...
- mas só esse eu não farei.


Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes...
- palavra que não direi.


Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,
- que amargamente inventei.


E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando
nos ares certos do tempo,
até não se sabe quando...
e um dia me acabarei.


[cecília meireles]

4 comentários:

Dinha disse...

Olá moça =)
Gostei muito do teu blog. Te achei na comunidade do orkut "Evitando cantadas porcas" de lá fui pro teu perfil e no teu perfil achei teu blog
=P

Adorei os textos
até mais
^^

.ana disse...

hahahah..
essa comunidade é ótima, por sinal. minha cara.


que bom, fico feliz com a visita [e agradeço o elogio...]
será sempre bem-vinda.

Silvia disse...

Que linda poesia Ana! Te define bem n� =)

Beijinhos, fofa! Voltei ao batente, hahaha!

.ana disse...

Não sei se me define... mas eu gosto dela!!!

[mah finalmente voltou, hein? essas pessoas que só viajam... ¬¬' hunf!]