segunda-feira, 13 de outubro de 2008

.desprendimento

uma lição que aprendi há muito [mas muito!] tempo é não fazer nada que eu não tenha vontade. não fazer o que não for de coração.
vou pro lado contrário da maré quando bem entendo.
não é porque "todo mundo" vai estar "lá" que vai ser bom.
não é porque todo mundo "faz" que vou fazer também.
não quero nada forçado, nunca.
não gosto de padrões, não me peçam para fazer o que não posso. ser o que eu não sou. gostar de quem me repele. achar legal aquilo que vai contra meus princípios e valores.
se eu fosse contra minha natureza estaria me matando aos poucos.
...
gosto de gente bem humorada.
dou muito valor a coisas simples... um olhar de carinho, um beijo, um afago.
gosto que segurem minha mão. mas gosto que me deixem ir quando preciso.
aliás, preciso do silêncio. mas também da palavra. e do olhar no fundo dos meus olhos.
da naturalidade.
da sinceridade.
e que nada seja em vão.
...
adoro dar bom dia para as pessoas.
também adoro receber um bom dia. se for com um sorriso no rosto, com alegria verdadeira, melhor ainda. só por educação faz pouco ou nenhum efeito.
e sim, valorizo pessoas educadas.
valorizo pessoas esforçadas.
e acredito na mudança.
se não fosse para evoluir, não haveria sentido estarmos aqui.
...
tenho saudade da paz da minha infância.
e dos dias que eu ia para a escola, e reclamava dos temas para fazer. [principalmente quando eram de matemática...]
tenho saudade do meu pai.
das vezes que ele me levava pro fundo do mar, entre aquelas ondas que me pareciam tão grandes... e garantia que nada iria me acontecer. [e eu sempre sorria.]
...
hoje as ondas são outras, e não tenho ele aqui para me dizer que tudo vai ficar bem. preciso ir por mim mesma.
por aquilo que acho, penso e principalmente sinto.
por tudo que já aprendi.
pela minha consciência, que procura não me deixar errar.
é todo um processo complicado e infinito.
mas, no fim, esse desprendimento todo dá uma leveza sem explicação.
.


[algumas idéias soltas, mas que se encontram em algum ponto. ]

6 comentários:

.duas doses de desdém disse...

Cara...tomei um porre de emoção lendo isso...que lindo!

Tenho certeza que ele ainda diz isso pra vc, nem que seja através do vento.

Eu não são tão desprendida assim...e às vezes qdo digo algum não sou mal compreendida, mas dizer não tb é preciso...

adorei esse post!

beijos, linda.

Josh Ágora disse...

Primeiro: O Título, fantástico. Certamente é uma palivre.

Segundo: Somos almas gêmeas. Geniosos e geniais (sem qualquer falsa modéstia, menos ainda verdadeira arrogância).

Terceiro: Papai. Chorei.

Quarto: Paie! Chorei.

Afinal, "esse me rosto vermelho e molhado é só dos olhos pra fora, por que todo mundo sabe que homem não chora".

Você não está sozinha.

Grande abraço.

Josh.

.ana disse...

amados vcs dois! =)

vez que outra eu escrevo e coloco pra fora o que passa aqui dentro.
[mas não se acostumem, é bem raro! ;)]

.duas doses de desdém disse...

:)
Mas bm lindo msmo o que escrevestem, sei que vc não gosta, mas ficou lindo demais...


e sobre a carocha do mal lá..fostes bem "trevona" no teu comntário heim, ham ham enrolada nas minhas cobertas hahahaha
mutcho meeeedo, garota ahhaahha

imagina!!

insetos inofensivos..s fosse sapo aih sim eu enfartaria!!!

;*****************

te gosto!!!!

.duas doses de desdém disse...

e o Josh citou uma canção do Frejat alí que eu amo

/babei

bjbj

trOiAnA22 disse...

Aiaia
cheguei em boa hora, lind post, linda citação do Frejat... hummm

Falar de vida é tão amplo, contraditório, inovador e redundante... Viver é o que nos resta... com sentimento de sobrevivência é opcional.

Bjos amor,

miCa