quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

.quando ninguém está por perto

créditos: http://criticalwatcher.blogspot.com/ [ótimo blog, aliás... recomendo.]
e dois bons barulhinhos, que adoro:
aqui e aqui.

Quando ninguém está por perto

"Parados estavam eles naquele banquinho da praça a admirar a velocidade com que aquelas pessoas caminhavam ali; não olhavam sequer ao lado, criando um submundo voltado pra sua própria realidade.

Entreolharam-se por um milésimo de segundo, mas preferiram manter o silêncio. Pareciam estar presos em sua própria realidade, já não havia mais ruído, já não havia mais pessoas. Só restavam pensamentos.

E mesmo diante daquele grau de contato íntimo com seu próprio eu, cada um deles fazia dos olhares que sobrevinham uma forma de encontrar o caminho do outro. E a taciturnidade ainda reinava naqueles gestos tão delicados.

Qual será o melhor caminho a seguir? Perguntavam-se.

As dúvidas pareciam gritar em suas cabeças e ao mesmo tempo, o coração palpitava cada vez mais rápido, cada vez mais confuso.

A verdade é que eles dois tinham muitos pensamentos em comum, mas de que adiantava? O medo sempre se tornava vilão da situação e apoderava-se de qualquer tentativa de fuga ou subterfúgio. No entanto, a força dos dois veio à tona. Encararam suas dúvidas e receios com o coração valente e aberto.

Não havia mais tempo para procrastinar. Era tarde e o tempo parecia passar cada vez mais rápido. Em medidas assustadoras, eles viram suas vidas passarem em um segundo. Será que tinha valido a pena? Era hora de seguir em frente.

Ele deu sua mão para ela, fazendo-a segurar fortemente. Ela, sorrindo, apertou ainda com mais força. Não falaram nada e, olhando para o horizonte, começaram a correr sem descanso. Nada fazia mais sentido parar ali. Incansavelmente, por dias e noites, estavam os dois contornando a mecânica falha de seus corpos.

E entre tantas pessoas que antes ali estavam, entre tantos bancos, tantas praças, eles se encontraram. Estranhos e unidos, somente pela vida. "


[*agarraenãosoltamais*]
.
.
[adoro esse texto, tinha guardado há tempos... e eu disse que não demoraria a dar as caras por aqui!...]

9 comentários:

GueGue disse...

Que lindo aninha!!
Quero agarrar a mão do meu amor e não soltar mais!
Lindo texto coleguinha!

Beijoss

.: Juliana :. disse...

Que texto lindo Ana!!! Adorei...

E só sei dizer que esse povo mal educado, cheios de preconceito, muitas vezes me dão nojo.

Beijão!

.duas doses de desdém disse...

Opa opa! tô sentindo cheiro de amor no ar *_*

Adorei o texto, e eu me sinto assim com o meu gato, quando a gente tá juntinho parece que só existe nós dois, a gente entra pro nosso mundo e fecha as portas..só existe eu, ele e o nosso amor ^^

tá tá parei (cheia de mimimimii) hahaahahhaah

Marisa Monte...que delícia!

beijos, lindona!

.: Juliana :. disse...

Maceió é tudo de bom Ana, tens que conhecer. As pessoas ficam andando madrugada a fora na orla, a cidade não para. Tem as feirinhas, coisas linda, feitas pelo povo de lá e super baratas... Ainda vou postar o que comprei lá :)

Beijão amada!

The Heart of Lilith disse...

É, eu me sentia assim!

Mário Sioli disse...

Gostei também do texto.
Um bom fds pra ti
Beijos

O Profeta disse...

Construí um abrigo no deserto da emoção
Os vales são as ruas de um Deus
Fecha-se a alegria da terra
Um último olhar de amor, solto dos olhos teus

Na noite tudo se perde
Mora a sombra, o desvario
A indomável vontade do amor
Tem a força de um Rio


Mágico beijo

O Profeta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
The Heart of Lilith disse...

MAis um MEME p ti, no meu blog!